Exército Brasileiro treina procedimentos em caso de ACIDENTE NUCLEAR


A Força Aérea Brasileira (FAB) participa de um exercício simulado de acidente nuclear na usina Angra 1, em Angra dos Reis, litoral sul do Rio de Janeiro, a partir desta terça-feira (22/09). O treinamento, sob a coordenação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, vai reunir representantes de 58 instituições das esferas federal, estadual e municipal. O objetivo é padronizar ações e procedimentos no caso de uma emergência real.O Exercício Geral do Plano de Emergência da Central Nuclear, que acontece a cada dois anos, vai até quinta-feira (24) e é uma das ações do Sistema de Proteção ao Programa Nuclear Brasileiro (SIPRON).

Segundo o Coronel Márcio José Régis da Silva, responsável pela coordenação da equipe da FAB, 21 militares farão parte da missão, incluindo pilotos do Esquadrão Puma (3º/8º GAV), técnicos do Instituto de Medicina Aeroespacial (IMAE) e do Instituto de Estudos Avançados (IEAV), além de militares do Terceiro Comando Aéreo Regional (III COMAR).

Um helicóptero H-34 Super Puma, operado pelo 3º/8º GAV, será empregado nas simulações de remoção aérea de vítimas de acidentes nucleares e medição do nível de radiação na usina. Os protocolos de descontaminação e preparação de aeronave também farão parte do treinamento.

“É uma ótima oportunidade de reunir as áreas da FAB que podem atuar em um acidente nuclear e capacitar esses militares para o caso de um acontecimento real”, afirma o coronel, que também é Chefe da Seção de Planejamento do Estado-Maior do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA).

Pluma radioativa - Informações sobre a propagação da pluma radioativa, ou seja, radiação na atmosfera, são a novidade do exercício neste ano. De acordo com o pesquisador doutor Cláudio Antonio Federico, do IEAV, ter o domínio do processo de simulação da pluma é de fundamental importância para uma assessoria segura aos órgãos de controle da FAB. Isso permitirá o planejamento de missões, sem expor tripulações e preservando os meios (aeronaves) de possível contaminação.

“Vamos trabalhar em parceria com a Comissão Nacional de Energia Nuclear para ter uma estimativa de como a pluma se comportaria numa situação real. A inclusão desta capacidade de simulação na FAB e a forma de transferir essa informação às equipes operacionais com eficiência são objetivos que estamos perseguindo”, destaca e acrescenta que o principal da atividade é a sinergia entre as equipes participantes.

O IMAE levará para a simulação uma equipe médica responsável pelo atendimento das vítimas contaminadas pela radiação e uma equipe de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (DQBRN), que vai detectar e monitorar a descontaminação.

O coordenador das equipes do IMAE, Major Médico Dalton Muniz dos Santos, explica que serão utilizados durante o exercício em Angra dos Reis detectores para monitorar o nível da radiação, roupas de proteção e cápsulas especiais para transporte de pacientes. De acordo com o militar, o material é considerado o que há de mais moderno no mundo em defesa QBRN.

“É uma forma de testar o tempo de resposta da equipe que, se não for adequado, poderá transformá-la em nova vítima. Além disso, vemos esse exercício como preparação às Olimpíadas”, afirma o médico, ressaltando ainda a qualidade técnica dos profissionais. “Temos um time muito preparado e capacitado para atuar em situações reais”.


Com informações: http://fab.mil.br/index.php

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Você já ouviu falar nos senhores do mundo? Conhecidos como ILLUMINATI? Ou em diversas sociedades secretas? (Maçonaria, Skul and Bones, Ordem RosaCruz, Ordo Templi Orientis, Illuminati, Thule, Mão Negra, Bilderberg)...
Já ouviu falar sobre a NOVA ORDEM MUNDIAL? Você pensa que esse assunto é apenas mais uma teoria da conspiração? Desligue sua TV! ABRA SEUS OLHOS!!!

Coloque seu e-mail para receber atualizações:

Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]