01/03/2014

A MALDIÇÃO DE TUTANKAMON

A MALDIÇÃO DE TUTANKAMON
Depois de 9 anos de seu nascimento, ele assumiu o trono do Egito, tornando-se um dos mais jovens faraós da história. Depois de 9 anos de reinado, ele morreu.

Apesar de muito jovem, Tutankamon (1336-1327 AC) foi um bom faraó e reparou vários danos causados por seu pai, Akhenaton, incluindo a restauração da antiga religião (seu pai havia instituído o monoteísmo, causando diversas revoltas)

A morte de Tutankamon guarda vários mistérios e, para deixar a história mais estranha ainda, ele, supostamente, matou várias outras pessoas 3.000 anos depois, através daquela que seria conhecida como “A Maldição de Tutankamon”.

A crença na maldição surgiu depois que várias pessoas, que tiveram contato direta ou indiretamente com a tumba do jovem faraó, morreram de forma inesperada.

A tumba de Tutankamon foi uma das maiores descobertas arqueológicas da história, isso devido ao estado de conservação e o inestimável tesouro intocado que jazia junto a múmia (é raro encontrar tumbas que não foram violadas e destruídas por saqueadores ao longo dos milênios).

Ao contrário do que pregam as inúmeras lendas sobre o caso, ninguém morreu imediatamente ao entrar na tumba. Tampouco houve uma morte “inexplicável”. Mas o fato de ao longo dos anos os descobridores da tumba, alguns assistentes e visitantes terem falecido, já foi o bastante para mexer com a imaginação das pessoas.

Um dos “assassinos de aluguel” de Tutankamon merece destaque: o fungo Histoplasma capsulatum. Causador de uma doença sistêmica em pessoas com a imunidade baixa, ele vitimou alguns “violadores” da tumba “amaldiçoada”. O fungo sobreviveu na tumba graças a umidade e a falta de luz, prosperando por milhares de anos.
PRÓXIMO ARTIGO PRÓXIMO ARTIGO
ARTIGO ANTERIOR ARTIGO ANTERIOR
PRÓXIMO ARTIGO PRÓXIMO ARTIGO
ARTIGO ANTERIOR ARTIGO ANTERIOR
 

AdBlock Detectado

Desative o AdBlock e recarregue a página para acessar o conteúdo.

Nossa única forma de sustento são os anúncios de extrema qualidade do Google, tente se por no nosso lugar.

Muito obrigado pela compreensão.

×