29/12/2017

Ética, moralidade e base filosófica no Anarcocapitalismo

Ética, moralidade e base filosófica no Anarcocapitalismo
Ética, moralidade e base filosófica no Anarcocapitalismo  
Olá nobres conspiradores, aqui quem escreve é Wilson Ferreira do Verdade Estampada, hoje vamos estudar sobre o Anarcocapitalismo através do Rafael.

Mesmo eu sendo liberal, eu tenho que admitir que a moral libertária é irrefutável, porém não acho que a moral sempre será a base principal para uma coordenação social.



Ética, moralidade e base filosófica no Anarcocapitalismo 


Por Rafael:
Muitas críticas são direcionadas ao Anarocapitalismo por supostamente ser somente preocupado com o mercado. Isto é incorreto. Anarquistas de maneira geral se preocupam com a parte prática do sistema e dão a rejeição a agressão como um ponto filosófico dado, sem se preocupar em explicita-lo. Este é o objetivo deste vídeo. O anarquismo se preocupa com a pergunta "como vamos viver uns com os outros?", mas esta pergunta depende de "quem somos nós?", "como sabemos isso?" e "como devemos viver?". O objetivo deste vídeo é responder estas três perguntas e por que tais respostas levam a uma conclusão única: anarquia. Ficará claro aos mais entendidos que a quase totalidade dos meus argumentos é direta do objetivismo e da ética argumentativa de Hoppe. Os que não parecem ser são só por diferenças na maneira de explicar posições. Minha filosofia é objetivista da raiz e núcleo até suas consequências finais, e embora Ayn Rand não tenha acreditado na possibilidade da ausência de um estado, sua posição era por não crer na possibilidade da produção privada de justiça e segurança, não por alguma objeção filosófica. O anarcocapitalismo é uma conclusão lógica, e embora a lógica e a realidade possam ser incômodos ou estranhos para alguns, desejar o contrário não muda nada. Agressão é logica e racionalmente inaceitável e atenta contra a base do que é ser um humano, é o ato mais vil e desumanizante possivelmente concebível, e deve ser reprovado em todas as suas formas, inclusive na forma da agressão estatal. A isso Aryn Rand se referia como uma "Harmonia de Interesses". Todos devem navegar o mundo e a vida de maneira não agressiva e buscando sua medida de realização como a conceberem, e o anarcocapitalismo é o sistema mais adequado para isto pois permite as maiores chances e ferramentas para que indivíduos alcancem sua realização. Mas a realização do individuo é responsabilidade dele mesmo, não de outros, e em verdade muitos não vão buscar a felicidade e muitos não irão encontrá-la, o que em grande parte é causado por ideias errôneas sobre filosofia e vida disseminadas entre os indivíduos, ideias que os afastam das buscas de valores e da convivência ética. Sintetizando o vídeo: a realidade e a verdade existem independentes da nossa existência, cabe a nós descobri-las, e tal empreendimento pela descoberta só pode ser feito por humanos. Só podemos analisar a realidade com nossos sentidos e cognição, e a realidade triunfará sempre sobre o que podemos pensar dela. Eticamente, devemos atender a minima condição da humanidade, a racionalidade, ou seja, é imoral qualquer ato que negue a racionalidade ou a existência do seu ser ou a de outro, o que significa novamente que a agressão não é aceitável. Posto que não temos "dividas" ou "missões", resta que a única busca de nossa vida pode ser a felicidade, a realização dos nossos valores e buscas como humanos, e o único sistema compatível com esta forma de viver é o anarcocapitalismo.
Agora vamos assistir ao vídeo em questão:
Ética, moralidade e base filosófica no Anarcocapitalismo
Ética, moralidade e base filosófica no Anarcocapitalismo  

Dúvidas frequentes sobre o Anarcocapitalismo que podem ser cessadas:
PRÓXIMO ARTIGO PRÓXIMO ARTIGO
ARTIGO ANTERIOR ARTIGO ANTERIOR
PRÓXIMO ARTIGO PRÓXIMO ARTIGO
ARTIGO ANTERIOR ARTIGO ANTERIOR
 

AdBlock Detectado

Desative o AdBlock e recarregue a página para acessar o conteúdo.

Nossa única forma de sustento são os anúncios de extrema qualidade do Google, tente se por no nosso lugar.

Muito obrigado pela compreensão.

×