12/07/2018

Diferenças entre filosofia ocidental e oriental

Diferenças entre filosofia ocidental e oriental
As diferenças entre filosofia ocidental e oriental
Texto autoral de Thalyson Teixeira sobre as diferenças entre filosofia ocidental e oriental. Thalyson aponta as diferenças, características culturais e filosóficas entre ocidente e oriente.


Diferenças entre filosofia ocidental e oriental 

Diferenças entre filosofia ocidental e oriental
Filosofia do ocidente e oriente
Muitos têm pensado sobre o motivo dos professores de filosofia no Brasil não mencionarem quase nenhum filósofo asiático, a resposta é simples: a nossa cultura é mais voltada ao mundo ocidental, ou seja, fala-se mais sobre a filosofia de origem europeia que inclui tais países como a Grécia antiga, Alemanha, Inglaterra, França e dentre outros, e é por causa disso que se têm influências por parte de Aristóteles , Karl Marx, John Lock, René Descartes e demais filósofos, e além disto, envolvem-se também a religião e a ciência. E diante disto tudo, vários países do continente europeu e americano, principalmente os EUA, a Inglaterra e o Canadá, foram influenciados por essas eurocêntricas* formas de pensamento, sem dizer que estes três são uns dos países em que se fala inglês e que dão ênfase ao pronome “I” (que significa “eu”), escrevendo-o com letra maiúscula independentemente se estiver no meio ou no final das frases, assim dando ideia de que o foco no ego e individualismo está culturalmente presente em si, e mesmo que nem todos os países ocidentais têm inglês como a língua materna, eles, ao menos, acabam adotando esse tipo de individualismo, valorizando a si próprios. E é comum, como por exemplo, eles serem ensinados a ser independentes desde crianças para que possam viver na sociedade sem muita ajuda alheia.


Características da filosofia ocidental 

Diferenças entre filosofia ocidental e oriental
Filosofia ocidental
No ocidentalismo, as conversações e apresentações estão presentes também: as pessoas discutem entre si para obter informações através de refutações e acordos, assim encontrando a verdade e a mentira. E apesar disto, quando elas observam uma imagem qualquer, elas tendem a olhar para sua parte principal, não dando atenção ao seu fundo (cenário), e quando elas pensam sobre o motivo dum planeta ter tal cor, elas pensam somente na ciência. E como contrapartida, os orientais, tais como os japoneses, chineses e coreanos, que não são tão individualistas no sentido de dependência, sentem-se desconfortáveis com muitas conversações e apresentações, e quando lhes é mostrada uma imagem, eles reparam tanto em seu fundo quanto em sua parte principal, e quando pensam no motivo dum tal planeta ser de tal cor, eles acreditam que é por causa de vários fatores que envolvem a própria ciência já citada e a presença do ki (uma força cósmica). 



Características da filosofia oriental

Diferenças entre filosofia ocidental e oriental
Filosofia oriental
A filosofia oriental, que foi moldada no Japão, na China e na Coreia, foi influenciada pelo filósofo e religioso chinês Chuang Tzu que acreditava que quando vemos algo e já sabemos do que este algo se trata, não precisamos nomeá-lo com palavras, e como oposição, os ocidentais, ao verem-no, pensam logo numa palavra para referi-lo. Em se tratando do oriente, é importante citar o conceito de Yin e Yang que dá ideia de que nenhum objeto existe sem o outro. Exemplo: se não há sombra, não há luz; se não pobreza, não há riqueza. Esse conceito não é muito usado no ocidente, mesmo que ele seja compreendido.


Em sumo, há uma grande diferença cultural e filosófica entre o grupo dos [americanos, ingleses e canadenses] e dos [japoneses, chineses e coreanos].
PRÓXIMO ARTIGO PRÓXIMO ARTIGO
ARTIGO ANTERIOR ARTIGO ANTERIOR
PRÓXIMO ARTIGO PRÓXIMO ARTIGO
ARTIGO ANTERIOR ARTIGO ANTERIOR
 

AdBlock Detectado

Desative o AdBlock e recarregue a página para acessar o conteúdo.

Nossa única forma de sustento são os anúncios de extrema qualidade do Google, tente se por no nosso lugar.

Muito obrigado pela compreensão.

×